quinta-feira, 7 de maio de 2009

Marcos Jorge, orgulho para o cinema paranaense


Quando pensamos em cinema paranaense, logo vem em mente o nome de um dos diretores que produziu seu primeiro longa-metragem e que recebeu inúmeras premiações: Marcos Jorge. Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná no ano de 1988 e pós-graduado em cinema com ênfase em linguagem cinematográfica, roteiro e direção de atores no Centro Sperimentale di Cinematografia, em Roma, Itália. Marcos passou produtivos e incansáveis 10 anos na Europa, onde roteirizar e dirigir passou a ser visto como profissão.

Neste período produziu vários filmes e vídeos, os quais eram parabenizados em diversos festivais. Atuou como video-artista e as suas vídeo-instalações vieram a ser expostas na França, Itália, Holanda e Japão. Logo após, passou a dirigir centenas de vídeos publicitários para o Brasil e Exterior.Zencrane Filmes, é a produtora que Marcos e sua esposa Cláudia, montaram ao chegarem no Brasil. No ano de 2002 foi produzido e lançado o seu primeiro curta-metragem, O Encontro, um curta de ficção que recebeu 23 prêmios em festivais brasileiros e foi muito bem visto pelos profissionais internacionais da área cinematográfica. Seu segundo curta-metragem, Infinitamente Maio, lançado em 2003, recebeu novamente 17 prêmios. “O Ateliê de Luzia – Arte Rupestre no Brasil”, nasceu um ano depois e foi seu primeiro documentário de longa-metragem e vencedor do prêmio do Programa ‘Rumos Cinema e Vídeo’ do Instituto Itaú Cultural.

Ao longo de seus 46 anos produziu ainda, Carta a Bertolucci, Reflexões, Vernichtung Baby, Paisagens, O Medo e Seu Contrário, até dirigir o reconhecido e premiado longa Estômago. O filme deu a Marcos o prêmio de Melhor Diretor no Festival Internacional do Rio de 2007. Diferenciado na visão internacional, de imagens de favelas, poluição, violência e sexo, o filme é comédia e drama simultâneamente, inteligente, mas desprendido, faz pensar em questões importantes da natureza humana sem se preocupar em vender e despertar a imagem de cult. Profissionais do Ano da Rede Globo e duas medalhas de Ouro no Festival de Nova York também estão no repertório de premiações deste cineasta, que novamente no ano de 2007 revelou suas habilidades e conhecimentos com a câmera fotográfica, lançou seu primeiro livro como fotógrafo, Rupestre – Arte Pré – Histórica Brasileira.

Marcos Jorge não pára, está com mais um projeto de longa, trata-se de um funcionário da carrocinha em rixa com um traficante por conta de um cão. Dois seqüestros terá como cenário o subúrbio do Rio de Janeiro, provavelmente São Paulo e Curitiba. O Ministério da Cultura ofereceu o prêmio de Desenvolvimento de Roteiro para esse novo projeto que está orçado em R$ 4 milhões e terá como protagonista o ator Rodrigo Santoro, que vai viver o traficante na trama, e com toda certeza teremos mais uma vez o nome de um paranaense sendo aplaudido por todos os profissionais e admiradores de cinema.


Rodrigo Santoro (foto) vai atuar em Dois Sequestros. As filmagens devem começar no ano que vem.

Texto: Priscila Martins
Edição: Bruna Righesso
Imagens: globo.com/ cinepop.com.br

seja o primeiro a comentar!

Este é um espaço aberto ao debate de idéias. O Cineacademia não se responsabiliza pelos comentários aqui colocados. A opinião expressa nos textos é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores. Além disso, o autor do blog se reserva o direito de alterar estas regras sem aviso prévio; de editar ou excluir os comentários que infrinjam Leis; que usem linguagem considerada inadequada (grosseira, hostil, ataques pessoais, ameaças); que façam exposição à privacidade alheia ou perseguições; que tenham cunho comercial, propagandístico e spams.

Design por UsuárioCompulsivo. Customizado por Luís Celso Jr. ^